30 de jun de 2010

"Acho que meu mal sou eu mesmo, esses círculos concêntricos envolvendo o centro do que devo ser. Mas só poderei me aproximar dos outros depois de começar a desvendar a mim mesmo. Antes de estender os braços, preciso saber o que há dentro desses braços, porque não quero dar somente o vazio. Também não quero me buscar nos outros, me amoldar ao que eles pensam, e no fim não saber distinguir o pensar deles do meu.”

8 comentários:

Betty Gaeta disse...

Oi Dany,
Adorei o texto. Seu blog é lindo.
Estou seguindo vc, pode me ver no seu quadrinho de seguidores...
:)
Bjkas e uma ótima quarta-feira para vc.

Vicky D. disse...

OI!
Passando para conhecer o blog... é muito bonito aqui! Seus textos são muito bons!
Vo passar sempre tá?
Ah, to seguindo tmb ^.^

BJão =^.^=

http://instantaneouswords.blogspot.com

Amanda disse...

Amiga me segue que sempre estou dando dicas de coisinhas que cabe no nosso bolso hehehe
Adorei seu espaço vc adora poesia né
bjos

Faniquito disse...

Oii, Dany !!!

Que texto PERFEITO E PROFUNDO - ops tô gritando, né. hehehe Mas é perfeito mesmo.

Dá uma olhadinho no teu quadro de seguidores...tem uma surpresa. hehehe

Beijinhos

Ana

Rah C. disse...

Sempre o medo aparece impedindo a gente de fazer algo. Mas acho que esse medo é realmente por não nos conhecermos ainda.
beijos

Sara disse...

Olá Dany, obrigada..eu também gostei muito deste lado de dentro viu...vou tentar ler com mais tempo, pelo que vi tem muito sentido...beijinhos!!

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Mas que bonito isso né?

Eu sou com vc.
Se fosse matemática, eu diria que quando duas pessoas se unem. O resultado deveria ser a soma. E não a diminuição.

"Escuta, eu te deixo ser.
Deixa-me ser então."


Beijo de flor
Seja bem vinda

Dayane Pereira disse...

Amei o texto!
Acho que devemos ser nós mesmos. E nos bastar sempre.